quarta-feira, 10 de abril de 2013

Maldições Hereditárias e Cura interior - Uma chamada à reflexão! Parte 2


Autor: Calixto Faxini
Instituto Cristão de Pesquisas




Amados, a Palavra de Deus nos alerta que virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas (2 tm 4.3-4). Não nos restam dúvidas, que estamos presenciando o último capítulo da história da Igreja; podemos até não estar na última página, mas com certeza, estamos no derradeiro capítulo. Prepare-se, Cristo em breve virá!

Percebemos que o mundo caminha freneticamente na busca de uma Nova Era (New Age), ou seja, uma Nova Ordem Mundial (Econômica, Social, política, militar e religiosa), cujo objetivo é o domínio sobre todas as coisas. Um mundo "novo e perfeito", de paz e prosperidade. Muitos têm sido atraídos por essa Nova Ordem. Suas doutrinas e termos são: Família global, holística, mãe terra, consciência cósmica e ecológica, meditação transcendental, misticismo, visualização, cura interior, pensamento e confissão positiva, etc. Um terreno fértil e propício para a manifestação do anti-Cristo. Ora, rogamo-vos, irmãos quanto pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e a nossa reunião com ele. Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição (anti-Cristo), aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora  (2 Ts 2.1 e 3-4).

O resultado dessa Nova Era tem levado a humanidade e principalmente as personalidades influentes à procura de gurus (guias), sacerdotes e pessoas com poderes sobrenaturais. Infelizmente, muitas vezes fomentado por um poderoso marketing dos meios de comunicações. Na verdade, essa Nova Ordem rebela-se contra o senhorio de Cristo, e nega descaradamente a mensagem da cruz.

Por outro lado, a Igreja que deveria ser um “reduto” de homens preparados e atentos contra essa Nova Ordem Mundial tem se aliado ou deixado de combatê-la, e pior, tem assimilado suas doutrinas (isso é muito pior!). As práticas e ensinamentos da Nova Era tem invadido e assediado nossas igrejas de forma sutil e às vezes escancarada mesmo. Infelizmente, nem as igrejas escaparam dessa influência.

Este texto não pretende trazer um estudo sobre a Nova Era, e sim, mostrar algumas de suas maléficas influências na Igreja. A Igreja vem sendo atacada cada vez mais por ondas e modismos. Muitas vezes importados de outros países (principalmente dos Estados Unidos e Canadá). Sempre estão inventando algo diferente e novo para o povo, ou seja, cada vez mais se distanciam do verdadeiro, simples e puro evangelho. Entre tantas ondas e modismos que a Igreja vem sofrendo, não resta dúvidas que uma das mais perigosas são “A cura interior” e “quebra de maldições”, além de outras correntes e campanhas mirabolantes e totalmente fora da Palavra de Deus que andam inventando por aí.

O que é cura interior? O que é quebra de maldições? Será que tais práticas são bíblicas? Acreditamos realmente no novo nascimento? Acreditamos no fruto do Espírito Santo?
Segundo os adeptos dessa doutrina, após a pessoa aceitar a Cristo, o novo convertido tem que participar de uma corrente ou sessões de cura interior, para curar seus traumas, lembranças e quebrar as maldições hereditárias.

A cura interior busca curar feridas da alma, conhecidas como "traumas" ou "más recordações". Algumas dessas recordações, sempre que se manifestam com toda a sua força, fazem a pessoa reviver horas de medo, tensão, ódio, angústia ou abatimento. Outras permanecem no subconsciente ou inconsciente e têm seu modo peculiar de influenciar o nosso comportamento.

Seus defensores dizem que a cura interior sonda o inconsciente do indivíduo à procura de lembranças escondidas que supostamente causam males e impedem o seu crescimento espiritual e comunhão com Deus. A falta de cura interior segundo seus adeptos é a causa de muitos fracassos espirituais, financeiros e sentimentais.

A Maldição hereditária, por sua vez, são maldições passadas de geração em geração. Seus seguidores declaram que o indivíduo está preso à prática e pactos realizados por seus ancestrais com demônios, trazendo maldições a várias gerações. Se o pai foi alcoólatra, o filho será e assim por diante, até que se quebre essa maldição, ou seja, para quebrar essa cadeia alguém tem que pedir perdão pelos pecados de seus antepassados. Existem outras maldições: calvície, suicídio, alcoolismo, drogas, deformidades físicas, etc.

Para tal doutrina, interpretam o texto do Livro de Êxodo: Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.  Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamento (Ex 20.4-6).

Amados, todo aquele que quer estudar a Bíblia seriamente, não pode fazer ou aceitar uma doutrina baseada em apenas uma passagem. Temos que ver a Bíblia como um todo. Uma passagem bíblica tem que ser contextualizada, vendo os versículos anteriores e posteriores, bem como, ver o que os outros livros da Bíblia falam a respeito. A Bíblia interpreta a Bíblia. O confronto da Bíblia com a Bíblia resolve suas “aparentes contradições”. A Bíblia é um todo. Todas as perguntas propostas pela Bíblia, ela mesma responde.

Nessa passagem de Êxodos, Deus está entregando os 10 mandamentos para Moisés. Um desses mandamentos é que não adorássemos imagens de escultura. Nesse caso específico Deus está falando de misericórdia, e usando uma linguagem figurada quando se refere a terceira e quarta geração ou milhares.  Ele poderia usar qualquer número de geração. Pergunto: Você sabe qual o número de sua geração? Você consegue provar tal afirmação? Entretanto, Deus não se contradiz. A Bíblia interpreta a Bíblia. No livro de Ezequiel, o Senhor Deus alerta ao povo de Israel que não fiquem mais usando um certo provérbio sobre maldição hereditária, ou seja, que os filhos levariam as culpas dos pais. Que quereis vós dizer, citando na terra de Israel este provérbio: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram? Vivo eu, diz e Senhor Deus, não se vos permite mais usar deste provérbio em Israel. Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá (Ez 18.1-4). O texto está nos dizendo em linguagem figurada de hoje, que Deus não queria mais que dissessem esse provérbio: Os pais comeram doçuras e não escovaram os dentes, e os dentes dos filhos se apodreceram e acarearam. Deus ainda completa: Contudo dizeis: Por que não levará o filho a maldade do pai? Ora, se o filho proceder com retidão e justiça, e guardar todos os meus estatutos, e os cumprir, certamente viverá.  A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a maldade do pai, nem o pai levará a maldade do filho, A justiça do justo ficará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele (Ez 18.2-4).

Pelo jeito, mesmo nos tempos de Jesus Cristo, o povo ainda tinha a mania de dizer que os filhos levariam a culpa dos pais. Esqueceram  de ler o Livro de Ezequiel escrito 590 anos antes desse episódio. Haviam se afastado das escrituras. E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus (João 9.1-3).

O Apóstolo Paulo também nos advertiu quanto à doutrina de quebra de maldições hereditária: Nem se preocupem com fábulas ou genealogias intermináveis, que mais produzem discussões que edificação para com Deus, que se funda na fé. Mas o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida; das quais coisas alguns se desviaram, e se entregaram a discursos vãos (1 Tm 1.4-6).

Percebam irmãos em Cristo, que não servimos a um Deus que se contradiz ou a um Deus mentiroso. Na realidade se Deus fosse mentiroso, ou nos deixasse confuso em suas palavras, eu fatalmente buscaria a outro Deus. As Sagradas Escrituras  nos advertem claramente: os filhos não levam a culpa dos pais. Não existe maldição hereditária. Que Deus injusto seria esse que eu me tornaria maldito pelos pecados de meus ancestrais?

A Palavra de Deus nos diz:: porquanto aquele que é pendurado (no madeiro) é maldito de Deus (Dt 21.23). Jesus Cristo foi o maldito de Deus, pendurado numa cruz. Não existe mais maldição em minha vida. Como Deus não se contradiz, as Sagradas Escrituras claramente expressam: Jesus Cristo nos resgatou da maldição, fazendo-se, ele mesmo, maldito em nosso lugar (Gl 3.13). Amados, acabaram-se as maldições, os medos e os pactos de nossos antepassados: Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1).

A Palavra de Deus nos garante que: Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (2 Co 5.17). Deus está nos dizendo: as coisas velhas passaram. É passado! Eis que faço novas todas as coisas.




Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...