Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

Buscar a união da família deveria ser um dos nossos esforços

Você e eu também podemos criar para a história da nossa família um final feliz, longe dos contos de fada, mas real: se deixarmos que o amor e o perdão governem as nossas atitudes em relação aos nossos familiares. Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe (Pv 1.8). Em certo momento da vida de nossa família, passamos alguns dias separados uns dos outros devido a algumas doenças. Nosso filho reclamou e desabafou: “Quando nossa família vai poder estar reunida de novo”? Uma família dividida não parece ser realmente família. Sinônimos de família poderiam ser: união, amor, fortaleza, alegria. Deus criou a família para ser unida. Homem, mulher e filhos vivendo em harmonia! Esta deveria ser e é a base mais constante e potente de uma sociedade. Deveria ser também a base pessoal do cotidiano, o porto seguro das pessoas, onde elas vivem, se multiplicam, se ajudam e se amam. Jacó teve uma grande família e uma grande história. José, seu filho

Uma reflexão sobre o casamento - por John Stott

Se, portanto, é obrigação da esposa sujeitar-se ao marido, é também obrigação dele, como participante da nova humanidade de Deus, sujeitar-se a ela. A submissão não deve ser unilateral.  Trata-se de uma obrigação cristã universal, exemplificada pelo próprio Senhor Jesus. Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor [...]. Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja. [Efésios 5.22, 25] Muitos consideram que o apóstolo Paulo teria sido um incorrigível misógino (alguém que tem aversão a mulheres). Mas aqueles que pensam assim provavelmente não levaram em conta as implicações de Efésios 5.21-33, pois nessa passagem, séculos à frente de seu tempo, há um sublime ensino cristão que precisa ser esclarecido urgentemente. Considere seus cinco aspectos: Primeiro, a exigência que a esposa se submeta a seu marido é uma aplicação particular de uma regra cristã geral, pois a ordem para as esposas se sujeitarem (v. 22) vem imediatamente após a o