quinta-feira, 20 de agosto de 2009

A democracia ganha; perde a religião.


A troca de acusações entre as emissoras Globo e Record teve pelo menos um ponto positivo: revelou os bastidores do que antes era conhecido apenas em livros-denúncia. Se a Record se valeu de verbas oriundas de dízimo e ofertas de milhares de fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus, a Rede Globo foi beneficiada por verbas públicas em sua eterna relação com o poder. Longas reportagens em telejornais de ambas as emissoras escancararam isso para milhões de telespectadores. Ganha a democracia, ganha a liberdade de imprensa, quebra-se o monopólio da comunicação, ganha a sociedade que fica sabendo da falta de lisura daqueles que deveriam ser exemplo de ética e honestidade. Mas perde a religião.

Na reportagem do Jornal Nacional que deu origem à briga, foram exibidas cenas lamentáveis de pastores recolhendo sacos de dinheiro e fazendo caretas prazerosamente debochadas para as câmeras. Quando deu o troco, a Record perdeu a chance de mostrar outra face da Universal. O que fez foi reforçar ainda mais o estereótipo da igreja cujo reino é mesmo deste mundo. Escolheu personagens para tentar ilustrar o que a denominação tem de bom, e a impressão que deu é a de que o lado bom da Universal é fazer com que a conta bancária de seus adeptos engorde milagrosamente, desde que eles ajudem a encher os cofres da igreja.

Ninguém falou em Volta de JESUS, pregação do evangelho, estilo de vida e renúncia, conceitos comuns nos evangelhos. Ao contrário, a tônica é sempre a teologia aberrante da prosperidade, como se a conversão fosse garantia de enriquecimento. Textos bíblicos como “no mundo tereis tribulações, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo” (João 16:33); “não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu” (Mateus 6: 19-21), e outros mais, parecem passar longe do ideário dos membros da Universal.

No meio desse fogo cruzado estão pessoas sinceras que buscam paz e esperança. É o caso do entrevistado na matéria da Record que tentou suicídio, mas mudou de ideia quando ouviu um pastor falando na TV. Como DEUS lida com cada pessoa individualmente e vê o coração, não podemos julgar a sinceridade delas. Mas podemos esperar que justiça seja feita contra esses líderes que se refestelam com o dinheiro suado de seus seguidores, construindo mansões enquanto muita gente dentro e fora do rebanho passa fome e amarga dívidas.

Resta esperar que funcione o bom senso daqueles que assistem a tudo nos sofás das salas de estar. Verdadeiros seguidores de Jesus entendem que é necessário, acima de tudo, buscar em primeiro lugar o reino de DEUS e a sua justiça. As demais coisas – casa, comida, roupa, etc. – lhes são acrescentadas pela bondade e sabedoria de Deus (cf. Mateus 6:33). As bênçãos prometidas aos dizimistas em Malaquias 3 não dizem respeito apenas à prosperidade financeira, que o SENHOR sabe a quem conceder ou não. Seguindo o estilo de vida proposto pela Bíblia e sendo liberal com a causa de DEUS e com as necessidades do semelhante, a pessoa terá também paz, saúde e bons relacionamentos - bênçãos impagáveis.

Finalmente, que os espectadores tenham sensibilidade para perceber que nem todo pastor e ganancioso, assim como nem toda igreja visa ao lucro e nem todo padre é pedófilo. E que DEUS ajude os sinceros a ter discernimento e a encontrar a pérola de grande valor em meio a tanta sujeira.

Michelson Borges

Um comentário:

Cleide. disse...

Gente!!!!!Como ainda não tem nenhum comentário aqui..............


Estou em lágrimas.........
obrigada! obrigada! Senhor por ter entrado neste blog, nesta manhã e ter encontrado este texto maravilhoso, e que me deu forças para ser mais forte, que minhas fraquesas. Eu me arrependo Senhor!!!!


Não há nada melhor, do que estar na presença do Altíssimo sem culpa...


Que peso enorme saiu de dentro de mim....nesta manhã.


bjs, bjs....Cleide.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...