sexta-feira, 25 de junho de 2010

“O Fazendeiro e Deus” (“Faith Like Potatoes”)


O enredo conta e história de Angus Buchan, que após ser obrigado a vender sua fazenda de gado em Zâmbia, muda-se para a África do Sul com sua família para recomeçar a vida como plantador de batatas. Angus é escocês e não sabe falar uma palavra de Zulu (o dialeto local), mas isto não impede que Simeon Bheng (Hamilton Dhlamini) – que se torna seu melhor amigo – se aproxime dele.

De fato, não dá para contar muito mais do enredo sem estragá-lo, acrescentarei apenas que Angus começa o filme completamente incrédulo e a medida que as situações cotidianas se acumulam, ele só consegue encontrar abrigo na única pessoa capaz de satisfazer suas ambições: Deus. Mesmo a maior tragédia pela qual passou (mostrada com muita força no filme), não pode afastá-lo dos momentos de oração e comunhão que ele vem a experimentar na sua “catedral verde”.

Na vida real, Angus Buchan ainda vive com sua família e seu amigo Simeon “Gidli” Bheng. O DVD vem recheado de extras que complementam o filme, como o depoimento do próprio Angus, seus filhos e amigos a respeito de sua vida e eventos contados na película; além de todo o elenco e diretores.

A produção também é muito boa. A história toda se passa no continente africano, mas não espere ver os famosos clichês do tipo “pôr-do-Sol na savana coberta de acácias”, “leões estripando gnús”, “zebras, girafas e elefantes correndo” etc. O filme não é sobre isto! A Africa é linda eu sei (adoraria conhecê-la), mas se quer ver estes tipos de imagem, sugiro o “Discovery Channel” ou o “Animal Planet”.

A fotografia de Dave Aenmey, apesar de simples é primorosa. Na direção de câmera, há tomadas aéreas muito bem feitas e os enquadramentos, sobretudo nos momentos dramáticos, transmitem a sensação de estamos na cena. O roteiro e a direção (ambos fabulosos) são de Regardt Van Den Bergh – diretor desconhecido do grande publico e que produziu, em sua maioria, filmes com apelo cristão. O elenco também é desconhecido, porém a atuação brilhante e envolvente de Frank Rautenbach como Angus, prova que há muita coisa boa a ser vista e prestigiada fora de Hollywood.

“O Fazendeiro e Deus” é um daqueles filmes inspiradores que se deve assistir junto com a família, com as luzes apagadas e uma bela tigela de pipoca nas mãos. Os milagres mostrados nas cenas, causam tanto impacto quanto uma explosão em filmes de ação e isto sem utilizar qualquer efeito especial sofisticado. Um dos momentos mais dramáticos (e tocantes) para mim é aquele em que Angus, em desespero, cita a promessa de Jesus sobre pedir com fé e ter a garantia de ser atendido. Naquela hora, Angus é linda e milagoramente respondido por Deus num momento de absoluta aflição, meramente por sua simplicidade e fé. Bravíssimo!

O filme fala sobre superação e persistência, além de sutís toques de humor muito bem encaixados na trama. Vale a pena assistir, especialmente naqueles momentos em que a gente precisa de inspiração; seja para continuar um projeto, iniciar um novo desafio ou simplesmente aumentar a fé.

Por tudo, “Faith Like Potatoes” vale (e muito!) seus 97 minutos de puro Drama. Evidentemente – considerando o título original – o próprio Angus explica porque ele compara a fé a batatas. Melhor motivo que este para acender a curiosidade e assistir ao filme, impossível.

“O Fazendeiro e Deus” (“Faith Like Potatoes”), Drama, 97min, 2008.

Um comentário:

Cleide. disse...

Eu assisti este filme, com a minha igreja, foi muito edificante vale apena assistir. A paz!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...