terça-feira, 8 de julho de 2014

Por que usamos a vara?



Muitos pais hoje estão perplexos quanto à questão de bater ou não em seus filhos. Alguns dizem que é uma forma de punição cruel e abusiva ou que promove a violência. Outros simplesmente dizem que “Não acreditam na palmada”. Mesmo alguns bem respeitados psicólogos cristãos orientam contra a palmada. É fácil ficar confuso. Analisemos estes argumentos primeiro. Os dois primeiros podem ter alguma validade. 

Certamente há casos em que os pais batiam, e a criança cresceu com uma inclinação para a violência. No entanto, na maioria desses casos, os pais haviam abraçado uma forma mundana de bater em vez da forma bíblica de castigo. Eles haviam usado a vara sem a repreensão. Haviam punido o erro, sem explicar o certo e, na maioria das vezes, haviam castigado com raiva e com uma motivação errada. Sempre que os pais rejeitarem os métodos de Deus e abraçarem os métodos mundanos, problemas surgirão. Provérbios 14.12 nos diz: “Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte”. Nesses casos, teria sido melhor que os pais tivessem se abstido de bater por completo do que dado uma surra de uma maneira que rejeita a santa intenção de Deus pela disciplina. 

O uso da vara conforme os princípios divinos é claramente ensinado nas Escrituras. Dizer: “Eu não acredito em palmada” é dizer que os métodos ordenados por Deus para a instrução dos filhos estão errados. É rejeitar a Palavra de Deus. É dizer que você é mais sábio do que o próprio Deus. Os caminhos de Deus são mais altos que os nossos caminhos. “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Is. 55.8-9).

O que exatamente é a vara?

Tedd Tripp define usar a vara como “Um pai, fiel a Deus e em fidelidade para com seu filho ou sua filha, assumindo a responsabilidade do uso cuidadoso, oportuno, calculado e controlado do castigo físico, para reforçar a importância de obedecer a Deus, resgatando, assim, a criança de continuar em sua estultícia até à morte”. Bater é parte do método ordenado por Deus para dirigir a estultícia para fora dos corações de nossos filhos. 

É-nos dito em Provérbios 22.15: “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afugentará dela”. Esse versículo também define claramente qual deve ser a nossa motivação ao bater em nossos filhos. Não é para se vingar por nos envergonharem ou irritarem, ou para levá-los a obedecer apenas externamente, mas para expulsar a estultícia que está ligada aos seus corações. E se você conseguir alcançar seus corações, o comportamento cuidará de si mesmo.

Por que usamos a vara?

Você alguma vez ouviu falar de pais que não querem que seus filhos obedeçam? Certamente não. Todos os pais desejam filhos obedientes, mas muitos não conseguem obter obediência. 

Alguns se tornam tão desanimados e frustrados que convencem a si mesmos de que a obediência não é nem mesmo possível com seus filhos. Por que os pais são desencorajados a ponto de desistir? Por que a disciplina não está funcionando com seus filhos? Por que seus filhos estão caindo em espiral para as profundezas da desobediência? Por que muitos pais recorrem frequentemente a gritos, súplicas, ameaças e até mesmo ao abuso físico na tentativa de educar seus filhos – tudo em vão? É porque eles não estão seguindo os conhecimentos do “manual de instruções”, a Bíblia. 

Roy Lessin diz: Quando alguém compra um aparelho novo, ele é fornecido com um manual de instruções do fabricante. Ele diz como usar o aparelho e como mantê-lo da melhor forma. Se algo der errado, o cliente é encorajado a contatar o fabricante para reparos. Assim é com a família. A família é ideia de Deus. Ele a trouxe à existência. Em sua Palavra, ele deu instruções claras a respeito de como ele espera que ela funcione. Quando pais experimentam problemas na educação de seus filhos, ele é o único a ser consultado. Ele deu aos pais o rico conselho de sua sabedoria para orientá-los na importante questão da educação de seus filhos.

Por que usamos a vara?

A disciplina bíblica envolve ensino, repreensão, correção e uso adequado da vara. Você talvez esteja pensando: “Por que um pai amoroso bateria alguma vez em seu filho?” O uso da vara demonstra fidelidade a Deus. Os pais que colocam sua confiança na sabedoria de Deus, compreendem a relação entre a vara e obediência. Atentar para os mandamentos de Deus ao usar a vara é confiar plenamente em sua sabedoria e confiar fielmente em seu conselho. 

O uso da vara demonstra fidelidade para com a criança. Os pais que se recusam a bater estão causando uma injustiça espiritual para com seus filhos. Não bater é ser infiel à alma da criança. “Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno” (Pv. 23.13-14). Isso não significa que quanto mais você bater, mais provável é que seu filho vá para o céu. Significa, simplesmente, que o uso da vara ajuda a trazer a criança à observância e a um ponto em que está mais propícia a receber a Palavra de Deus. 

O uso da vara transmite sabedoria. A ligação da vara à sabedoria por meio das Escrituras é muito importante. A criança que não está se submetendo à autoridade parental está agindo estupidamente. Ela está rejeitando a jurisdição de Deus. A vara da correção traz sabedoria para a criança. Ela humilha o coração da criança e expulsa a estultícia que está ligada a ele. A Bíblia explica desta forma: “A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe” (Pv. 29.15).

A vara é uma responsabilidade

Quando os pais administram a vara, eles não estão meramente punindo seus filhos. Estão obedecendo à responsabilidade que Deus lhes deu. Existe um mistério em como a vara funciona, mas podemos estar confiantes de que, enquanto estamos obedecendo a Deus e trabalhando no bumbum, Deus está honrando nossa obediência e trabalhando no coração. Portanto, se você pretende resgatar seu filho da morte, se pretende arrancar a estultícia do coração dele pela raiz e se pretende transmitir sabedoria, você deve usar a vara.

Por Ginger Plowman. © 2013 Editora Fiel. Páginas 125-127 e 137-139. Original: Por que usamos a vara?
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...